domingo, 12 de março de 2017

Dialogando 6º ano p. 30, 31 e 35

 Página 30
Você já riu de uma pessoa só porque tinha hábitos diferentes dos seus? Alguém já riu de você por algum hábito seu? Pessoal
Página 31


Qual desses bens é material, qual é imaterial e qual é natural?

Imagem 1: Frevo – bem imaterial
Imagem2: Prédio do Centro Educativo Burle Marx – bem material
Imagem 3: Cataratas do Iguaçu – bem natural
Página 35

O calendário dos antigos gregos tinha como base as Olimpíadas que ocorriam a cada quatro anos. O que isso que dizer? Isso que dizer que as Olimpíadas eram um acontecimento importante na cultura dos gregos da antiguidade.

Dialogando 7º ano p. 32, 34 36


Página 32


a)      Você sabe dizer quem é o vassalo e quem é o suserano? Á esquerda, está o vassalo, á direita o suserano.
b)      Há três elementos da própria imagem que permitem saber que é o vassalo e quem é o senhor; quais são eles? Entre os elementos que permitem chegar a essa conclusão estão: o tamanho (a figura do senhor é maior que a do vassalo e muito maior que a do servidor); a posição do corpo ( o senhor sentado e o vassalo curvado); tudo isto é indicativo da hierarquia entre eles.
c)      Qual é a função do homem que está escrevendo? Registrar o juramento de fidelidade e as obrigações entre os dois.

Com base no que você estudou até aqui, pode-se dizer que, no feudalismo, o poder era centralizado ou descentralizado? Justifique. O poder era descentralizado, pois estava dividido entre muitos senhores, sendo o rei um deles.
Página 34
 Leia o texto a seguir.
Deus quis que, entre os homens, uns fossem senhores e os outros servos, de tal maneira que os senhores  estejam obrigados a venerar e amos a Deus, e que os servos estejam obrigado a amar e venerar o seu senhor.
 FREITAS, Gustavo de. Livro didático História e Cidadania
 3ª edição p. 34
O autor do texto acima, escrito na época do feudalismo, terá sido um conde, um bispo ou um camponês? Como você chegou a essa conclusão? O texto foi escrito por um religioso (o bispo St. Laud de Angers). Há dois indícios disto no texto: primeiro, o autor atribui a existências do senhores e servos à vontade divina; segundo, usa uma comparação de viés religioso: os servos deve-se comportar com relação a seus senhores tal como os senhores em relação a Deus.
Página 36
A condição do servo é a mesma do escravo? Não. Servo não é o mesmo que escravo. O servo não podia ser vendido, trocado ou punido, como se fazia com o escravo.



Dialogando 9º ano p. 79, 82 85

Página 79
Você já presenciou um mutirão no lugar onde você mora?
Pessoal
Página 82
É correto dizer que a Guerra do Contestado faz parte da longa história da luta pela terra no Brasil?
Sim; na base do conflito está o uso da violência para tomar a terra de indígenas e posseiros.
Página 85

Quais argumentos você considerou mais pertinentes?

Pessoal

Dialogando – p. 58, 59 e 60 - 8º ano

No presente, a situação é bem diferente dos tempos coloniais, mas no preço de quase tudo que compramos (roupas, sapatos, alimentos) estão embutidos os impostos.
a)     São os impostos que elevam os preços das mercadorias? Os impostos são um dos fatores que compõem o preço das mercadorias. Há ainda o preços das matérias-primas, a lei da oferta e da procura e a especulação.
b)      Você acha que o custo de vida no seu bairro é alto? Pessoal.
Na região dos diamantes as autoridades estimulavam as pessoas à acusarem umas às outras. O que você pensa sobre essa prática? Pessoal.

O que o gráfico mostra? Quando se deu o auge da produção de ouro na Minas colonial?

Mostra a evolução da produção de ouro nas Gerais ao longo do século XVIII. A produção de ouro nas Gerais foi mais elevada entre 1736 e 1740

Atividades p. 40 – 6º ano

1. Releia o texto de Darcy Ribeiro e Ziraldo na página 28, e responda.
Chama-se cultura tudo o que é feito pelos homens, ou resultado do trabalho deles e de seus pensamentos. [...] Uma casa qualquer [...] é claramente um produto cultural, porque é feita pelos homens. A mesma coisa se pode dizer de um prato de sopa, de um picolé ou de um diário. Mas estas são coisas da cultura material, que se pode ver, medir pesar.
               Há, também,  para complicar, as coisas da cultura imaterial [...]. A falta. Por exemplo, que se revela quando a gente conversa, [...] é criação cultural. [...]
               Além da fala, temos as crenças, as artes, que são criações culturais, porque inventadas pelos homens e transmitidas uns aos outros através das gerações.
RIBEIRO, Darcy; Ziraldo (ilustrações) Noções de coisas. São Paulo: FTD, 1995. p. 34
A.     Segundo os autores do texto, o que é cultura? É tudo aquilo que é feito pelos seres humanos, ou resultado deles e de seus pensamentos.
B.     Escreva em seu caderno os conceitos de:
·        Cultura material:  é o conjunto de objetos produzidos pelos seres humanos de uma determinada sociedade.
·        Cultura imaterial: é tudo aquilo que é produzido pelo ser humano, mas não é palpável, ou seja, não pode ser pego como, por exemplo, o modo de fazer uma comida, uma brincadeira, uma festa, um ritual etc.

5. Leia o texto a seguir e responda ás questões.
               O patrimônio cultural de um povo é formado pelo conjunto dos saberes, fazeres, expressões, práticas [...], que remetem à história, à preservação, práticas [...], que se remetem à história, a memória e a identidade desse povo. A preservação do patrimônio cultural significa, principalmente, cuidar dos bens aos quais esses valores são associados [...]. Trata-se de cuidar da conservação de edifícios, monumentos, objetos e obras de arte (esculturas, quadros) e de cuidar também dos usos, costumes e manifestações culturais fazem parte da vida das pessoas e que se transformam ao longo do tempo. O objeto principal da preservação do patrimônio cultural é fortalecer a noção de pertencimento de indivíduos a uma sociedade, a um grupo, ou a um lugar, contribuindo para a ampliação do exercício da cidadania. [...]
Brayner, Natália Guerra. Patrimônio cultural imaterial.
Livro didático História & Sociedade p. 43 – 6º ano
a.      De que é formado o patrimônio cultural de um povo? O patrimônio cultural de um povo é formado pelo conjunto dos saberes, fazeres, expressões que remetem à história, memória e identidade desse povo.
b.     De acordo com o texto, qual é o principal objetivo da preservação do patrimônio cultural de um povo?   A preservação do patrimônio cultural visa fortalecer a noção de pertencimento de indivíduos a uma sociedade, um grupo, um lugar, contribuindo assim para fortalecer e ampliar o exercícios da cidadania.
c.      Você já para pensar no patrimônio cultural de sua região? Converse com seus colegas e indique três elementos considerados patrimônio cultural da região em que você vive.
d.      Em grupo. Converse com seus colegas sobre um bem que integra o patrimônio cultural da região em que coces vivem. A seguir, elabore uma proposta para preservação e divulgação desse bem.

6. Estudamos que há sobre a Terra uma variedade de povos, culturas e calendários. Com base nisto responda.
a)      O que é um calendário? É um modo de dividir e contar o tempo.
b)      Judeus e muçulmanos utilizam diferentes eventos para marcar o início de seus calendários. Que eventos são esses? Os judeus começam a contar o tempo a partir da criação do mundo, que para eles se deus em  3760 a.C.; já os muçulmanos usam o ano de 622, ano que Maomé se mudou da cidade de Meca para Medica.
c)      O ano de 2016, no calendário cristão, corresponde a qual ano no calendário judaico? E no calendário muçulmano?  O ano de 2016, no calendário cristão, corresponde ao ano de 5776 no calendário judaico e ao ano de 1394 no calendário muçulmano.

7. Sobre o calendário cristão, responda:
a)     Qual evento é usado para dar início à contagem do tempo? Nascimento de Cristo
b)      Como registramos os fatos ocorridos antes de Cristo? E os ocorridos depois de Cristo? Usamos a sigla a.C para os acontecimentos ocorridos antes de Cristo e a sigla d.C para aqueles ocorridos depois de Cristo
c)      A que século pertence o ano que estamos? Século XXI
d)      A que séculos pertencem os seguintes anos:
·        2016:       XXI
·        1453:       XV
·        476:          V
·        27ª.C:       Ia.C
·        504 a.C.   VI a.C
·        1347:        XIV
·        1789:        XVII
·        1914:        XX
E.      Organize as datas do item anterior em ordem cronológica.
507 a.C –  27ª.C  – 476 – 1347 – 1453 – 1789 – 1914 – 2016

8. para situar os fatos históricos no tempo e registrar sua duração, sucessão e simultaneidade, usamos, décadas, séculos e milênios etc. retome as explicações sobre as formas de contar e dividir o tempo e responda:
a)      Há quantos anos se deu o nascimento de Cristo?  2017
b)      Há quantas décadas se deus esse fato? 201
c)      Há quantos séculos? 20

d)      Há quantos milênios? 2

Para Refletir p. 40 – 7º ano

A mulher na sociedade medieval
               O texto a seguir foi escrito por um medievalista brasileiro. Leia-o com atenção.
               A sociedade medieval, [...] foi [...] misógina, isto é nutriu um desprezo generalizado pelas mulheres. Sociedade masculina e guerreira, designava geralmente os dois sexos, chamando-os de “o lado da espada” e “o lado da roca”. O instrumento, espada ou roca, indicava a função de quem o empregava. No lar e fora dele fiar e bordar eram atividades femininas. [...]
               Entretanto não devemos pensar na mulher medieval como um grupo compacto oprimido pelos homens. As diferenças sociais foram sempre tão fortes quanto as diferenças de sexo. Não é possível alinhar, num mesmo plano, condessas e castelãs com servas e camponesas livres, ricas burguesas com artesãs, domésticas ou escravas. A opressão muitas vezes foi exercida pelas mulheres poderosas sobre as suas dependentes. [...].
               O grupo das servas e camponesas dos domínios senhoriais foi o mais numeroso e o que menos conhecemos, [...] os documentos [...] registram a participação feminina em inúmeros serviços. Ela plantava ervilhas, feijão, pescava, batia o trigo, ordenhava as vacas, tosquiavam, os carneiros. Apenas deixava de cultivar e lavrar a terra. [...]
Livro didático História & Sociedade – 7º ano -Alfredo Boulos Júnior p. 40.
a) De que forma o autor caracteriza a sociedade medieval?
Ele a caracteriza como uma sociedade que desprezava as mulheres e era masculina e guerreira.
b) Segundo o autor, todas as mulheres medievais eram igualmente discriminadas?
Não. Segundo o autor, as diferenças sociais forma sempre tão fortes quanto as diferenças se sexo. Houve mulheres poderosas (condessas, e castelãs) que oprimiam suas dependentes, fazendo-as trabalhar à exaustão.
c) escreva com suas palavras um texto resumindo a vida de uma mulher de condição servil na Idade Média. 
PESSOAL
d) Justifique a afirmação: na idade Média, a situação das pessoas variavam de acordo com o sexo e a condição social.
A sociedade medieval considera as mulheres como seres inferiores aos homens; mas a vida de uma mulher variava também com sua condição social; as mulheres dos camponeses tinha de trabalhar para ajudar seus maridos, sendo oprimidas também pelas mulheres da nobreza.

quinta-feira, 2 de março de 2017

Atividades p. 47 – 8º ano

Retomando
2. Monte uma ficha sobre as bandeiras.
a) O que eram? Eram expedições co organização e disciplina militar, organizadas por jovens paulistas que partiram de São Paulo co  o objetivo de conseguir indígenas e metais preciosos.
b) principais tipos de bandeirismo. Bandeirismo de caça ao índio; busca de ouro e diamantes e sertanismo de contrato.
c) Alvos das bandeiras de caça ao índio. Missões de Guaíra (Paraná); Itatim ( mato Grosso do Sula); Tape (rio grande do Sul).
d) bandeiras de busca do ouro e dos diamantes. Antônio Rodrigues Arzão, Sabará ( Minas) por volta de 1693.  Pascoal Moreira Cabral, Cuiabá (Mato Grosso) em 1719. Bartolomeu Bueno da Silva, Vila Boa ( Goiás), por volta de 1725

4. Observe o infográfico

a) Analisando a estrutura de uma missão jesuíta, também chamada de redução, podemos encontrar elementos que denunciem a imposição da cultura europeia frente aos indígenas? Justifique.Sim.Podemos identificar na imagem a existência de um templo católico, um colégio voltado para a catequização e o ensino, bem como alojamentos de padrão europeu.
b) qual era o objetivo dos jesuítas aos construir estas missões? Os jesuítas fizeram estes aldeamentos com o objetivo de iniciar os indígenas no catolicismo, bem como ensiná-los a trabalhar na agricultura, tecelagem e fundição de ferro.
c) Em sua opinião, as missões jesuíticas eram benéficas ou prejudiciais aos indígenas? Existem aspectos positivos e negativos.
Positivos: tentativa dos jesuítas de protegerem os indígenas da escravidão e o ensino de práticas e técnicas agrícolas e de pastoreio ensinada aos nativos.
Negativos: a mortalidade elevada de indígenas nas missões, causadas pelas doenças trazidas da Europa, a tentativa de impor aos indígenas a cultura europeia e a exploração do trabalho indígena

5. o trecho a seguir diz respeito à sociedade que se formou em torno da pecuária no Nordestes e foi escrito por um historiador cearense; leia-o com atenção e, a seguir, responda ao que se pede.
               De couro era a porta das cabanas, o rude leito aplicado ao chão duro, e mais tarde a cama para os partos; de couro todas cordas [...] o mocó (bolsa de tiracolo) ou alforje (saco) para levar comida, [...] a mochila para milhar (dar milho) ao cavalo, a peia (correia) para prendê-lo em viagem, as bainhas de faca [...] e a roupa de entrar no mato.
Capistrano de Abreu
Livro didático História Sociedade & Cidadania p. 49
3ª edição
Editora FTD
a) Liste, com base no texto, as utilidade que o couro tinha para a sociedade que se formou em torno da pecuária no Nordeste. O couro servia para fazer porta; leito ou cama; cordas; saco; correia; bainha; roupa...
b) o que se pode concluir pela leitura do texto? Conclui-se que no sertão do Nordeste, o couro era um elemento de grande importância na vida de seus habitantes.

Vozes do presente
O texto a seguir dói escrito pela historiadora Maria Chaves de Resende. Leia-o com atenção.
Sertão mineiro loteado à força
               As entradas para os sertões de Minas foram movidas por um tripé de interesses; o grupo e as pedras preciosas e, por extensão, a terra (para o plantio de roças e controle sobre passagens e rotas comerciais) e os índios (mão de obra para a lavra mineral, agrícola, ou como trabalhadores domésticos). Com esse objetivo numerosas expedições militares foram organizadas para avançar pelo interior [...].
               Não demorou para que distorcendo a realidade, os índios fossem tachados de “invasores”, o que justificou mais atos de violência. Agiam, verdade, em defesa própria, reagindo à ocupação de suas terras. Os povos nativos – Coroados, Puri, Botocudo, Kamakã, pataxó, Panhame, Maxakali, entre outros – encontraram-se, no fim, em minoria de armas e homens, atacados por doenças e reduzidos a uma pequena área geográfica
Livro didático História Sociedade & Cidadania p. 50
3ª edição – Editora  FTD
a) Segundo a autora, o que movia as expedições militares aos sertões de Minas? Ouro, pedras preciosas, terra e índio.
b) Como os grupos indígenas foram vistos pelos bandeirantes que lideravam essas expedições?  Os indígenas foram vistos como “invasores”, quando na verdade eles reagiram à ocupação de suas terras.
De que forma essas expedições aos sertões de Minas afetaram os indígenas que lá viviam? Muitos deles foram mortos em razão de fogo e das doenças contraídas no contato com os integrantes dessas expedições; além disso, esses grupos perderam a maior parte de seus território.

Cruzando fontes
As duas imagens representam os bandeirantes. A da esquerda é uma aquarela; a da direita, uma ilustração; ambas foram feitas por Ivan Wasth Rodrigues (1927 – 2007). Observe-as com atenção.

a) descreva o bandeirante mostrado na imagem à esquerda. O bandeirante aparece idealizado: calçado com altas botas de montar e vestido com um gibão (casaco de algodão curto e grosso). A tiracolo carrega uma sacola de couro contendo uma cuia, que servia como prato, e um chifre de boi, usado para beber água. Na mão direita ele leva um mosquete.
b) Descreva o bandeirante mostrado à direita. O bandeirante aparece descalço, com a barra da calça dobrada, camisa e jaleco simples e chapéu de palha trançada; na mão esquerda ele também carrega um mosquete.

c) Compare as duas versões e opine: qual delas se parece mais com o bandeirante de carne e osso? Conforme a historiografia os bandeirantes caminhavam descalços, por extensos territórios; pois até por volta de 1625, o cavalo ainda não era usado como transporte nas áreas de influência paulista. Portanto o bandeirante representando na imagem a direita e mais parecido com o personagem histórico que liderava as bandeiras. A imagem da esquerda tem mais a ver com a figura do herói criado pela elite paulista no início da República.

quarta-feira, 1 de março de 2017

Atividades -p. 74-9º ano

Atividades
Retomando
1. O texto a seguir é de um historiador; leio-o com atenção:
               Nas eleições presidenciais de 1910, 21 anos após a proclamação da República havia no Distrito Federal 25246 eleitores, isto é 2,7% da população calculada para este ano. Apenas 8687 compareceram às urnas, isto é 4% dos eleitores e 0,9% da população total. Computando somente os votos apurados [...] verificamos que representavam 18% dos eleitores e 0,5 da população total.
CARVALHO, José Murilo de . Os bestializados:  O rio de Janeiro e a república que não foi.
São Paulo: Companhia das letras, 1987. p. 86
a) O que se pode concluir sobre as eleições presidenciais do 1910 com base no texto?
Conclui-se que a participação popular na escolha do presidente da República era praticamente nula. No caso do Distrito Federal, por exemplo, a porcentagem de eleitores foi de apenas 18%, o que correspondia a 0,5% da população total. O Distrito Federal na época ficava na cidade do rio de janeiro.
b) O que se pode dizer sobre política e cidadania nos primeiros tempos da República com base nos dados fornecidos pelo autor do texto?
Pode-se dizer que o sistema político eleitoral da Primeira República impedia a maioria da população de ter acesso á cidadania política.

3. Leia a tabela com atenção e a seguir responda:

 a) O que se pode concluir sobre a economia brasileira no período?
Que o Brasil dependia das exportações de gêneros alimentícios agrícolas, como o café, açúcar, algodão, e produtos extraídos, como a borracha.
b) o que se pode dizer sobre o desempenho do café no período?
Que o café sempre ocupou o primeiro lugar na pauta de nossas exportações, chegando a responder por 72,5% do total no quinquênio 1924/1929.
c) que outro produto, além do café, teve grande importância no período abrangido pela tabela?
A borracha, que ocupou o segundo lugar entre 1889 e 1918 e chegou a responder por 25,7% das nossas exportações entre 1898 e 1910.
d) Comente o impacto socioeconômico e cultural do boom da borracha na Amazônia.
O boom das borracha atraiu para a Amazonas grande contingentes de trabalhadores, especialmente nordestinos, submetidos a uma rotina de trabalhos estafantes e baixo salários. Ao mesmo tempo, enriqueceu seringalistas e agentes comerciais estrangeiros, cujas fortunas contrastavam com a pobreza dos trabalhadores a seu serviço. A riqueza gerada pela borracha na Amazônia possibilitou a construção de obras arquitetônicas de inspiração europeia, como o Teatro Amazonas, em Manaus, e o Teatro da Paz, em Belém, bem como a introdução de itens de conforto material, como água encanada e luz elétrica.
e) Aponte a principal razão do declínio da economia da borracha.
A concorrência da borracha do Sudeste Asiático, de boa qualidade e produzida em grandes quantidades.



Leia a Tabela com atenção.
a) A tabela mostra oi número de indústrias e de operários em 107 e em 1920. O que se pode concluir comparando esses dados?
Conclui-se que, durante o período, o número de empresas cresceu por volta de quatro vezes, enquanto o número de operários empregados quase duplicou.
b) Que fatores explicam o fenômeno mostrado na tabela?
Os capitais acumulados com as vendas de gêneros agrícolas, sobretudo de café; a disponibilidade de matéria-prima e de mão de obra barata e a existência de um sistema de transporte ligados aos portos.

5. Leia a tabela com atenção

a) Com base na tabela, calcule o número total de imigrantes europeus e asiáticos vindos para o Brasil.
3198910
b) desse total, quantos eram italianos, portugueses ou espanhóis?
85,6%
c) O que explica a preferência por esses três grupos de imigrantes?

A imigração de portugueses, italianos e espanhóis foi estimulada por serem, essas pessoas de cor branca e católicos e por falarem línguas de origem latina, como o português. A elite brasileira acreditava na superioridade do europeu sobre os demais povos e que além de trazerem progresso e civilização, contribuíram para o branqueamento da população.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Atividades p. 25 – 7º ano

Retomando
1. Durante a crise do Império Romano ocorreu um processo de ruralização. P que foi esse processo e por que ele ocorreu?
Foi uma migração maciça das cidades para o campo. As pessoas não encontravam trabalho nas cidades e tinham dificuldades de sobreviver devido à inflação (alta generalizada dos preços). Além disso, os germanos vinham atacando e saqueando o Império, ocasionando a destruição de suas cidades

3. Sobre o reino Franco:
a. Onde os francos se estabeleceram?
Na Gália, área que compreende parte das atuais França, Bélgica, Alemanha e Polônia.
b. Qual a importância do rei Clóvis?
O rei Clóvis unificou os vários grupos francos, aliou-se a Igreja Católica e impulsionou a expansão militar dos francos
 c. Observe a imagem com atenção e responda: Quem pode estar batizando o rei Clóvis?
O papa, a mais alta autoridade da Igreja Católica.
d. O que o batismo de Clóvis significou?
Significou a aliança dele com a Igreja Católica.

https://www.infopedia.pt/$cristianizacao-dos-francos 



5. Qual era o papel dos monges copistas? Por que ganharam destaque no tempo de Carlos Magno?
Aos monges copistas cabia a tarefa de copiar textos antigos, entre os clássicos da literatura Greco-roma. Graças àqueles monges, então, preciosas obras da Antiguidade chegaram até nós.

Vozes do passado
50 deveres de Carlos magno e do papa (796)
[...] desejo estabelecer com Vossa Santidade um pacto inviolável de fé e caridade [...] O nosso dever é, com o auxilio da divina piedade, defender por toda a parte com as armas a Santa igreja de Cristo, tanto das incursões dos pagãos como das devastações dos infiéis [...]. É vosso dever, Santíssimo Padre, levantar as mãos para deus, como Moisés, para auxiliar o nosso exército de maneira que [...] o povo cristão obtenha para sempre a vitória sobre os inimigos do seu santo nome.
Livro didático: História Sociedade & Cidadania.
3ª edição p. 27 – editora FTD
a. Quem é o autor do texto e que lugar ele ocupava na sociedade da época? O Texto é assinado por Carlos magno que, na época era imperador de um vasto império.
b. Quando e por que Carlos Magno assinou esse pacto com o papa? Assinou-o em 796, com a intenção de solidificar sua aliança com o Papa.
c. Resuma o conteúdo do texto usando suas palavras. O texto trata dos deveres de Carlos Magno com o Papa, e deste com ele. De modo simplificado pode-se dizer que o de Carlos Magno e de seus guerreiros era defender, por maio das armas, a Igreja e os valores cristãos; já o dever do Papa era o de orar pelo sucesso do exército de Carlos Magno.

d. Qual a importância da aliança entre Carlos Magno e o papa na formação do Império carolíngio? A Aliança com a Igreja católica foi decisiva na ampliação do Império carolíngio, pois motivou e conferiu legitimidade à luta que Carlos Magno e seus guerreiros vinham desenvolvendo para conquistar terras e almas para o cristianismo.

Atividades p. 22 6º ano

Atividades p. 22 6º ano
Retomando

1. Observe as imagens abaixo.O que se perceber ao compara a imagem 1 com a imagem 2?

Imagem 1: foto em preto e branco, classe somente de meninas, ausência de recursos tecnológicos,
Imagem 2: foto colorida, classe mista, com meninos e meninas, a existência de um projetor multimídia como suporte aos desenvolvimento da aula.
2. Observe as fotografias a seguir com atenção. O que há em comum entre elas?












Tanto na fotografia 1 quanto na 2, as crianças estão brincando de pega-pega, mas as imagens são de épocas diferentes; note que essa brincadeira continua sendo praticada hoje em dia.

3. A atividade 1 mostra imagens de mudanças ocorridas ao longo do tempo; já a atividade 2 apresenta um exemplo de brincadeira que, mesmo com o passar dos anos, continua sendo praticada.
     a)      Afinal, o que a História estuda? A História estuda as mudanças e as permanências ocorridas nas sociedades humanas ao longo do tempo
     b)      Observe o lugar onde você mora e procure na paisagem algo que mudou e algo que continua como era antes. Anote no caderno a mudança e a permanência. Pessoal
  
4- Copie a ficha a seguir em seu caderno, e complete-a explicando o significado de:
Mudanças
Transformações
Permanências
O que não se modifica, mesmo quando passa o tempo.
Historiador
Profissional que escreve sobre o passado e o presente com base em fontes históricas.
Fontes históricas
Todos os vestígios ou pistas deixadas pelos seres humanos na sua passagem pela terra.
Sujeito histórico
Todos nós (pessoas: eu, você, seus pais, professores...) grupos: dos idosos, dos artesãos, das mulheres etc.; instituições: a igreja, a câmara dos deputados, o Exército etc.).

5. Como vimos, o historiador utiliza todos os vestígios disponíveis para produzir o conhecimento histórico. Esses vestígios são as fontes históricas, que podem ser escritas, visuais, orais e materiais. Observe as fontes históricas a seguir e classifique-as.








1. fonte material – 2. Fonte material – 3. Fonte escrita – 4 fonte visual – 5. Fonte oral – 6. Fonte visual.